MINUTO RURAL: Tereza Cristina negocia com Indonésia sobre carnes brasileiras

Na edição de hoje, as principais novidades do agronegócio no Brasil e no mundo.

Postado há um mês na categoria Notícias

Fechando a expedição pela Ásia em busca de expansão do agronegócio brasileiro, a ministra Tereza Cristina se reuniu com o ministro da agricultura da Indonésia sobre a abertura do mercado de carnes. Quem vai nos contar mais sobre essa possibilidade e debater outras questões é a Carla Mendes, do portal Notícias Agrícolas. 

Carla - “A Indonésia é um país com potencial elevado para aumentar o consumo de proteína e o Brasil é um forte candidato para suprir essa demanda toda, principalmente esse crescimento que é esperado pela demanda. Sabemos que a ministra Tereza Cristina está em visita pela Ásia e se encontrou com o ministro da agricultura indonésio para discutir a abertura desse mercado, inclusive pedindo uma resposta sobre a missão técnica que visitou diversos frigoríficos de estados brasileiros, uma missão técnica da Indonésia em abril do ano passado. A ministra fez questão de destacar que o Brasil tem condições de atender essa demanda de proteína animal, por parte da população da Indonésia, especialmente carne bovina, e que pode ser um fornecedor alternativo à Austrália, que é um fornecedor para os indonésios. Nós poderíamos chegar com um produto de qualidade semelhante e preços um pouco mais baratos.”

Rafael - A questão ligada ao tabelamento dos fretes pode ganhar esclarecimentos nesta semana. Isso porque na quinta-feira será feita a última sessão presencial que vai pode estabelecer as regras gerais, metodologia e os indicadores dos pisos mínimos. É a chance de um esclarecimento das regras ou a previsão é que essa insegurança a respeito do tabelamento se mantenha mesmo após essa decisão?

Carla - “É uma oportunidade para que os esclarecimentos cheguem, para que as discussões continuem, mas não acredito que vamos enxergar no fim da reunião uma solução definitiva para este impasse. Esse assunto vem se arrastando há uns meses e não agrada nenhum dos setores que necessitam essencialmente do modal rodoviário para transportar seus produtos. Muito se questiona ainda a metodologia. Inclusive, os caminhoneiros questionam alguns pontos desse novo método que foi apresentado pela Esalq. Veremos essas discussões continuando a partir desta quinta-feira. Mais uma sessão, que deve ser a última sobre o assunto. ”

Rafael - Obrigado pelos esclarecimentos, Carla. Quem quiser saber mais novidades do agronegócio é só acessar o Notícias Agrícolas, certo?

Carla - “É isso mesmo. Para quem quiser saber mais sobre o agronegócio brasileiro e mundial: noticiasagricolas.com.br. Até a próxima, Raphael”.

Comentários